25 de ago de 2015

Coisas Que o Filme Titanic Me Ensinou

 O filme Titanic (1997) foi lançado no ano em que nasci, poucos meses depois, mais precisamente. Assim, acabou sendo um filme que assistíamos várias vezes em casa. Posso dizer que "cresci" vendo esse filme, lá nos tempos do vídeo-cassete e ouso, sem vergonha nenhuma, dizer que é um dos meus filmes prediletos e listo nesse post os motivos que tornou esse filme tão inesquecível e cheio de aprendizados para mim. 

Curta a vida ao máximo!



 Se permitir cair na gandaia, saindo da pose e se divertir horrores deve ser um dos maiores prazeres da vida! Não dê a chance do famoso "medo do mico" te impedir de cantar, dançar e se esquecer dos problemas por algumas horas. Esses momentos são tão prazerosos e fazem um bem danado, principalmente para a nossa mente e nossa alma. Muitas vezes deixamos esses momentos passarem por conta das outras pessoas. Pelo o que elas vão pensar, falar, imaginar... Deixe que falem, que pensem, que imaginem! 

Classes Socias não te definem!



 Vivemos, infelizmente, em função das classes sociais. Somos divididos assim desde que me entendo por gente, mas até hoje não entendo o motivo. E o pior: somos classificados e julgados pelo tamanho da nossa conta bancária, pelas nossas vestimentas e nosso padrão social. A desigualdade social é algo gritante, inclusive em nosso país, e fingir que o problema não existe não o faz inexistente, de fato. Em Titanic, Jack não tem dinheiro e vive viajando pelo mundo vivendo de jogos e afins, mas seu talento e caráter são indiscutíveis, enquanto muitos da classe A se preocupam com estereótipos e dinheiro. Já Rose, apesar de estar falida junto com a mãe, ainda mantém se mantém na Classe A, vivendo em meio a preocupações superficiais. Mas adivinha? O dinheiro não salvou nem pobres e nem ricos! 

Finais felizes? Nem sempre! 


 Depois de Titanic, outro filme que quebrou meu mundo fantasioso de perfeições foi Um Amor Para Recordar. Aquele história de que os casais deveriam ser felizes para sempre, casar, ter seus filhos e etc ficou totalmente no fundo do mar junto com o navio. Obviamente no filme fizeram um final alternativo, onde Jack e Rose se casam e assim termina o filme, porém acredito que é um final totalmente dispensável, e muitos se apegaram a este final ao invés de lidar com o fato de que Jack morreu e Rose teria que seguir sua vida sem o amor de sua vida, afinal, é mais fácil lidar com o "felizes para sempre" do que com a dura realidade da perda e que muitas vezes as coisas não são como queremos, mas sim como devem ser. A vida tem dessas, garota! 

Nada é indestrutível!


 "Nem Deus pode afundar este navio!". Que frase mais famosa, hein! Independente da sua crença ou religião, um fato é real: nada é indestrutível. Mas o que é considerado indestrutível, vai de cada um. No meu caso, acredito que os bens-materiais são todos destrutíveis de alguma forma. Já os sentimentos e afins, não podem ser destruídos, mas mudados, como uma massa de modelar. Titanic, sendo baseado numa história real, é a prova de somos tão frágeis quanto uma folha seca, na qual o vento pode levar para qualquer lugar, a qualquer momento. A outra prova de que tudo é destrutível veio depois, quando li uma notícia na qual dizia que haviam bactérias desconhecidas corroendo o navio, que até então estava praticamente intacto no fundo do oceano. Nada material dura para sempre e lembre-se: somos feitos de carne e osso! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar ❤️